Hoje estive a falar com uma colaboradora de uma pequena empresa que me pedia
desesperadamente para tentar falar com o empresário, dono da empresa, porque: “nós já
somos só 7 e se nada mudar nós vamos cada uma para seu lado”.
Pela minha experiência, os donos das empresas muitas vezes nem sabem, nem se apercebem a que nível se encontram os desafios na equipa, considerando que os funcionários “não fazem nenhum” e que eles é que têm de “fazer tudo”.
Então qual é a solução? O que podemos fazer para merecer uma equipa de sucesso?
1. Forte Liderança
A equipa é o reflexo do líder. Se o objectivo é uma equipa forte, motivada e
apaixonada pelo que faz, o líder tem de ser forte na tomada de decisão, estar
motivado a desenvolver o seu negócio e gostar do que faz. Se um líder falar e agir de
forma apaixonada pelo projecto, certamente isso passa para a sua equipa.
O tamanho da equipa terá como limite os limites da capacidade de liderança do dono.
2. Objectivo comum
Ao longo destes 14 anos no mundo empresarial, tenho comprovado que quem gere a
empresa tem de perceber que o primeiro passo é tomar uma decisão e assumir as
decisões que toma.
Este ponto é fundamental. Se o dono da empresa não sabe para que é que está a
trabalhar, se não existir uma visão e missão bem definida com objectivos muito bem
identificados, a motivação vai-se perdendo e a empresa vai andar sem rumo, ao sabor
da maré, criando-se um sentimento de insegurança na equipa que se traduz numa
elevada rotatividade de pessoal. É preciso ser assertivo e tomar as rédeas da situação.
Pense no que quer e assuma um caminho.
3. Regras do jogo
A sua equipa sabe exactamente quais são as suas tarefas? Elas estão bem definidas e
por escrito?
Vamos pensar num jogo de futebol. Sabemos quais são os limites físicos do campo,
quais são as regras para marcar pontos e quais as recompensas, quais são as
penalizações pelas faltas e o que é que é considerado faltas, certo?
Então o que nos impede de definir as regras do jogo na nossa empresa? Onde estão os
limites? Quais são os KPIs (Indicadores de performance) que são avaliados para cada
função? Qual a recompensa? Quais as consequências pelo incumprimento das regras?
Não tenha medo de estabelecer as regras. Um jogo sem regras acaba por dar aso a
desentendimentos. A comunicação das regras tem de ser clara para todos.
4. Plano de acção
Já decidiu o seu destino de férias do próximo ano? Já decidiu qual o aumento de
facturação que vai ter? Quantos clientes precisa para isso? Como vai abordá-los?
Tal como é fundamental sabermos para onde vamos, é essencial sabermos quais os
passos que vamos dar para atingir.
Chegou Setembro. Já tem o seu plano para 2018?

5. Apoio ao risco e à iniciativa
Quer saber o segredo dos bons empresários? Eles contratam sempre alguém melhor
do que eles para cada função.
Ora vejamos, quantos funcionários tem? Porque é que contratou o primeiro
funcionário? E o segundo? E o último que contratou? De que forma contrata? Tem um
processo de recrutamento que lhe permita ter as pessoas certas no lugar certo?
A resposta a estas perguntas é fundamental. As pessoas contratam porque precisam
de tempo. Se não tiverem confiança na pessoa que contratam vão andar sempre a
verificar tudo. Então o que aconteceu ao seu tempo? Quantas pessoas consegue
manter neste sistema? Acha que a empresa vai crescer mais?
Tomemos este exemplo: tem filhos? Primos, sobrinhos ou amigos? Quando eles
nascem nós fazemos tudo por eles, mas com o tempo eles vão aprendendo e nós
vamos confiando. Por exemplo, com 1 ano, as crianças aprendem a caminhar. Com 2
anos a nossa preocupação são os limites. Eles caminham, brincam e correm sozinhos.
Eles fazem mais do que o que ensinámos! Mas nós não os limitámos. Nós não
dissemos hoje dás 10 passos, amanhã 15 e depois 20. Nós deixámo-los
desenvolverem-se. Nós deixámo-los tomar conta da situação e eles ultrapassaram-nos.
Porque não faz o mesmo com os seus funcionários? Porque não os deixa
experimentar, testar e explorar? Qualquer um deles pode aparecer com uma solução
fora da caixa que permite um novo salto no desenvolvimento da empresa. Seja
esperto. A maior riqueza de uma empresa está nos seus recursos humanos. Explore o
seu!!!
6. 100% Envolvimento/Inclusão
Partilhe os seus objectivos. Partilhe as suas alegrias e peça ajuda para os desafios que
surgem. A equipa tem de sentir que faz parte. Tem de perceber que na empresa não
existe um eu, mas um nós e todos dentro da sua individualidade têm alguma mais valia
para o todo. Faça reuniões. Partilhe os objectivos e peça ajuda à equipa na definição
do caminho.
Lembremos apenas o significado do acrónimo de equipa em inglês:
TEAM (equipa) – Together (juntos) Everyone (todos) Achieves (atingem) More (mais)

Então vamos juntos atingir mais!

Para saber mais como posso ajudar basta clicar no link http://bit.ly/sessaocoaching-actioncoach e marcar um diagnóstico feito por mim ao seu negócio!

 

Advertisements