Jamais a expressão «vestir a camisola» fez tanto sentido como nos dias de hoje, em tempos incertos numa economia cada vez mais global. Mas muito mais do que «vestir a camisola», importa vesti-la da forma correta e ajustada à missão e aos valores organizacionais, e a seguir é preciso «suar a camisola». Ou seja, o responsável cria as condições para que se possa vestir a camisola, e a seguir, o funcionário escolhe suar essa mesma camisola!

Parece simples, e na verdade, também o é. Agora, o que significa a “camisola”, para além do óbvio? Na minha opinião, são ações, comportamentos alinhados com a visão, missão, propósito, cultura e valores da organização. Para podermos ser mais competentes, para podermos fazer melhor o trabalho, temos de nos sentir bem! Todo o ambiente de trabalho, que inclui fardamento ou dresscode, funciona como um facilitador e catalisador para que possa haver um envolvimento dos colaboradores neste contexto favorável que é criado. Vestir a camisola literalmente ajuda a criar uma identidade alinhada com a organização.

O melhor exemplo é no desporto, através dos jogadores, mas também o 12º jogador, os fãs e isso revê-se em todas as equipas de trabalho. Eu pessoalmente, sempre usei a camisola nas duas organizações onde estive mais tempo até hoje. Tanto na Lear Corporation (multinacional norte-americana, empresa centenária), como na ActionCOACH. E o meu sentimento quando visto a camisola dá-me outra força, outra responsabilidade.

Dada a atual conjuntura económica e financeira do nosso país, e não só, as empresas estão bastante mais seletivas na aplicação dos seus recursos, priorizando a sua aplicação e reduzindo assim ao máximo os seus custos. Se uma imagem vale mais do que mil palavras, imagine então quanto vale uma boa imagem empresarial através da dress code! Num ambiente organizacional cada vez mais competitivo, onde as semelhanças são muito maiores do que as diferenças, é crucial incrementar o compromisso e o desempenho dos colaboradores, otimizando a sua reputação junto dos clientes, potenciar as vendas e projetar para o exterior uma imagem moderna, proativa e de confiança. É preciso criar um modelo de “camisola” (lê-se farda ou dress code).

Quando estão reunidas as condições, existindo a “camisola”, então cabe à gestão para que todos os recursos humanos, ou capital humano que hoje é designado, sigam as indicações e que “suem” a camisola. “Dar o litro”, “the Extra mile”, dar o melhor, não é possível sem esforço, sem suar a camisola, tal e qual como no desporto, onde obviamente, o esforço físico leva a isso. Puxar pelas pessoas, incentivar, elogiar, capacitar, pedir contas, aumentar compromisso, são estratégias essenciais para que a equipa queira “suar a camisola”.

Projete a imagem de sucesso da sua empresa através dos ativos mais valiosos: os colaboradores. Sim, eles são importantes… Muito importantes! Seja competitivo, seja inovador e atreva-se a marcar a diferença! Vestindo a camisola da sua empresa, proporcionando todo o apoio e as ferramentas de formação aos seus colaboradores para também eles vestirem eficientemente a camisola e juntos poderem vencer.

Para saber mais como posso ajudar basta clicar no link http://bit.ly/sessaocoaching-actioncoach e marcar um diagnóstico feito por mim ao seu negócio!

 

Advertisements